Ceratocone

O que é ceratocone?

O ceratocone é uma alteração no formato da córnea, em que ela sofre um encurvamento progressivo. Esse encurvamento, caso seja muito acentuado, deixa a córnea com formato de um cone, por isso o nome “ceratocone”.

A córnea é a mais importante lente do nosso olho e se localiza na parte da frente do globo ocular, à frente da íris, aquela estrutura que dá cor aos nossos olhos. Ela é uma lente transparente, o que permite que vejamos através dela.

A córnea é estrutura com mais terminações nervosas no nosso corpo e por isso qualquer machucado, lesão, inflamação ou infecção que acometa a córnea pode causar dor intensa no olho. O ceratocone é uma doença não-inflamatória, portanto, o paciente com essa alteração normalmente não sente dor. Ele só vai sentir dor, e nesses casos em geral é intensa, se apresentar um quadro chamado hidropsia, que ocorre quando a córnea sofre uma ruptura porque se encurvou excessivamente. Esses casos, inclusive, tem que ser tratados com urgência!

Quais os sintomas do ceratocone?

Ceratocone Leve:
– A visão pode permanecer normal ou quase normal.
– O paciente pode não necessitar de óculos, e a doença às vezes passa despercebida.

Ceratocone Moderado e Severo:
– Os pacientes com ceratocone geralmente apresentam visão embaçada, mesmo com o uso de óculos adequados.

Comum em Ceratocone:
– Miopia e/ou astigmatismo são comuns em pacientes com ceratocone.
– No entanto, nesses casos, a miopia e o astigmatismo têm origem no próprio ceratocone, devido à curvatura anormal da córnea.
– Isso é diferente da miopia e do astigmatismo comuns, que afetam a maioria das pessoas e não estão relacionados ao ceratocone.

Como saber se tenho ceratocone?

O diagnóstico do ceratocone requer uma consulta oftalmológica abrangente que envolve análise da córnea, medição da acuidade visual, ceratometria, além de exames de imagem como a topografia de córnea, paquimetria e tomografia de córnea (Pentacam ou Orbscan). O ceratocone é diagnosticado pela combinação desses dados e requer um oftalmologista especializado em córnea para chegar a uma conclusão precisa, sendo a tomografia de córnea o exame mais completo, embora não seja coberto pelos planos de saúde.

Quais são as causas do ceratocone?

O ceratocone é uma doença ocular com múltiplas causas. Ainda não é totalmente sabido tudo a respeito de suas causas, mas as principais são: predisposição genética do paciente, que pode ser dele mesmo (esporádica) ou herdada da família (familiar), associada com o ato de coçar ou esfregar os olhos, sintoma muito comum em pacientes com alergia ocular.

Tratamentos:

Cirurgia de
Crosslinking

Implante de anel
intraestromalanel

CIRURGIA DE CROSSLINKING: PRESERVANDO A VISÃO

E um procedimento para tratar o ceratocone, consideravelmente menos invasivo do que o transplante de córnea e contribui para minimizar os efeitos na visão do paciente.

O crosslinking é uma cirurgia de baixo risco com mais de 30 anos de histórico comprovado. E a única com evidência cientifica de redução significativa na progressão do ceratocone, aprovada por órgãos reguladores como a FDA (Estados Unidos) e a ANVISA (Brasil)

Anestesia Tópica em Ambiente Cirúrgico:

Pós-Operatório e Recuperação:

Os pacientes que tem um diagnóstico precoce da doença tem uma chance muito alta de não ter perda visual, desde que façam o acompanhamento médico e tratamento corretos. Hoje dispomos de vários tratamentos, inclusive de um tratamento para parar a doença, ou seja, não deixá-la progredir, que se chama cross-linking, do que falaremos mais adiante. Se o paciente não for ao oftalmologista e o diagnóstico e o tratamento adequados não forem feitos, realmente ele tem uma chance de perder a visão por causa da doença e até mesmo precisar de um transplante de córnea.

O mais comum é a doença surgir no adolescente ou no adulto jovem, ou seja, entre 12 e 25 anos. Mas existem casos em que ela surge antes ou depois dessa faixa de idade, ou seja, em crianças ou em adultos.

Quando o paciente apresenta uma visão satisfatória em ambos os olhos com os óculos, ele pode sim, usar somente óculos. Em geral, isso é possível em casos iniciais de ceratocone ou naqueles ceratocones em que o encurvamento da córnea se encontra abaixo do eixo de visão, ou seja, abaixo do centro da córnea, permitindo com que a visão central (nossa visão principal), se mantenha relativamente preservada.

Em primeiro lugar, é importante entender que o ceratocone é uma doença da córnea muito séria, que não tem cura, mas que tem controle. O mais importante de tudo, é fazer uma visita pelo menos uma vez ao ano ao oftalmologista e, caso você já tenha sido diagnosticado com a doença, é de extrema importância seguir as orientações que o médico especialista irá te dar e fazer todo o tratamento proposto até o fim. Muitos pacientes só descobrem a doença tardiamente pois não procuraram ajuda profissional na hora certa, ou seja, anualmente ou quando começou a perceber que a visão estava embaçada. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maior a chance de conseguirmos preservar uma visão normal ao paciente.

Além de fazer as consultas regularmente e seguir o tratamento proposto, é muito importante não coçar os olhos, pois já está muito bem documentado na literatura científica que, coçar ou esfregar o globo ocular, pode provocar o aparecimento do ceratocone em pessoas que tem uma predisposição genética, e também pode fazer o ceratocone piorar naqueles pacientes que já tem o diagnóstico da doença.

cirurgia de implante de anel intraestromal (anel de ferrara)

O Anel de Ferrara é um dispositivo médico minúsculo e semi-rígido feito de material biocompatível, geralmente implantado na periferia da córnea, o que é a parte frontal transparente do olho. Esses anéis intracorneais têm a capacidade de remodelar a córnea, corrigindo a curvatura irregular que o ceratocone causa. O objetivo é tornar a córnea mais regular, proporcionando uma melhoria na qualidade da visão.

Vantagens:

Redução da Dependência de Óculos e Lentes de Contato:

O Anel de Ferrara pode reduzir a necessidade de óculos ou lentes de contato, tornando a vida mais conveniente para os pacientes.

Procedimento Minimamente Invasivo:

A cirurgia para a colocação do Anel de Ferrara é relativamente simples e geralmente realizada sob anestesia local. Isso torna o procedimento minimamente invasivo e com um tempo de recuperação relativamente curto.

Estabilização do Ceratocone:

O procedimento visa estabilizar a progressão do ceratocone, ajudando a evitar a necessidade de transplante de córnea em alguns casos.

Adequado para Diferentes Estágios do Ceratocone:

O Anel de Ferrara pode ser uma opção em vários estágios da doença, desde casos iniciais até aqueles mais avançados, ajudando uma ampla gama de pacientes.

Resultados Duradouros:

Muitos pacientes experimentam resultados duradouros após a cirurgia, com melhoria na visão que pode ser mantida por muitos anos.

Melhoria da Qualidade Visual:

Um dos principais benefícios do Anel de Ferrara é a melhoria na qualidade da visão. Muitos pacientes relatam uma visão mais nítida e clara após o procedimento.

Adaptação de Lentes de Contato no Ceratocone

A adaptação de lentes de contato é uma opção para pacientes com ceratocone, desde que o formato da córnea ainda não esteja muito alterado. Lentes gelatinosas, com ou sem astigmatismo, podem ser utilizadas, proporcionando nitidez na visão.

Em casos mais avançados, as lentes rígidas, como as corneanas e as esclerais, são alternativas valiosas. As lentes corneanas específicas para ceratocone proporcionam uma visão de alta qualidade, desde que o paciente não tenha outras complicações oculares ou cicatrizes na córnea.

Recentemente, as lentes esclerais têm ganhado destaque. De maior diâmetro e apoio na parte branca do olho (esclera), elas oferecem mais conforto para pacientes que não se adaptam às lentes rígidas corneanas, embora exijam um treinamento para manuseio.

A grande vantagem das lentes rígidas é a capacidade de proporcionar melhora na visão, explorando o potencial visual do paciente.